Projeto Mobilising Archives: photography in Southwest Angola explora a coleção fotográfica de António Carreira

MNE_ICS_Mobilising Archives_António Carreira

Teve início recentemente a pesquisa sobre o fundo do arquivo fotográfico do Museu Nacional de Etnologia produzido por António Carreira, conduzida pela investigadora Inês Ponte, e no âmbito do qual o Museu se constitui como parceiro do projeto Mobilising Archives: photography in Southwest Angola.

Este projeto é realizado por Inês Ponte no âmbito de uma Bolsa Pós-Doutoral Marie Curie (747508), financiada pela Comissão Europeia, e desenvolve-se no Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa, no âmbito do Grupo de Investigação “Impérios, Colonialismo e Sociedades Pós-coloniais”, coordenado por Ricardo Roque. Combinando trabalho de arquivo em Portugal e de terreno em Angola, Mobilising Archives investiga o desenvolvimento da fotografia com intenção etnográfica através de colecções criadas numa mesma região entre as décadas de 1930 e 1990.

Entre as três colecções fotográficas que constituem o objeto desta investigação conta-se a de António Carreira (1905-1988), produzida no contexto das Missões de Prospecção Etnográfica que desenvolveu para o Museu entre 1965 e 1969, constituída por diversos milhares de espécimes em película de 35mm (negativos preto-e-branco e dispositivos a cores), cujo estudo decorrerá a par da investigação realizada sobre a respetiva documentação integrada no Arquivo Histórico do Museu.

António Barbosa Carreira (1905-1988) nasceu na Ilha do Fogo, em Cabo Verde. Em 1962 inicia a sua colaboração com o Museu, concretamente a sua Missão Organizadora, que se estende até 1983. Entre 1964 e 1973, participou em 11 das Missões de Prospecção Etnográfica organizadas pelo Museu, 5 das quais realizadas em Angola. Ao longo da sua colaboração com o Museu, entre 1964 e 1984, Carreira procedeu à recolha para as coleções do Museu de quase quatro milhares de objetos, tendo sido igualmente responsável por parte considerável da produção fotográfica relativa a África pertencente ao Museu. Tendo desenvolvido uma produção predominantemente etnográfica desde 1934, a partir da década de 1960 começa a interessar-se por uma abordagem de caráter eminentemente histórico. Assinou artigos sobre etnografia, linguística, demografia, economia, direito, antropologia física, entre outros tópicos, no Boletim Geral das Colónias, na Revista Garcia da Orta, Geographica, Revista Ultramar, Revista do Centro de Estudos Periódicos e na Revista de História Económica e Social, com a qual manteve uma colaboração assídua a partir de 1978.

Anúncios