giacometti

Arquivo sonoro de Michel Giacometti no MNE

 

CONSULTA NA MEDIATECA

de 2ª a 6ª, das 9:15 às 17:15.

CRONOLOGIA

– a 08/01/1929, Michel Marie Giacometti nasce em Ajaccio (Córsega); Ainda estudante, fundou revistas literárias, foi poeta, crítico de arte e director de uma jovem companhia teatral;

– em 1956, termina, em Paris, o curso de Letras e Etnografia (Sorbornne) e organiza uma missão internacional de estudos do folclore das ilhas do Mediterrâneo, a qual ficou por concluir;

– em 1958, conhece Isabel Ribeiro em Paris, com quem casa em Outubro do mesmo ano. Depois de passarem as núpcias em Portugal, regressam a França;

– em 1959, o casal regressa definitivamente a Portugal e, em Fevereiro, iniciam-se as recolhas dos primeiros registos sonoros, na região de Trás-os-Montes; Neste mesmo ano, fundou, igualmente, os Arquivos Sonoros Portugueses, que viriam a editar cerca de duas dúzias de recolhas fonográficas, contando com a colaboração de Fernando Lopes-Graça, entre as quais se destaca a Antologia da Música Regional Portuguesa;

– entre 1960 -1970, edita-se a Antologia da Música Regional Portuguesa;

– em 1960, realiza uma série etnográfica, produzida pela Radiotelevisão Portuguesa, de título O alar da rede;

– em 1961, José Fortes começa a trabalhar com Michel Giacometti nas recolhas;

– em 1963, iniciam-se as emissões para rádios estrangeiras na Bélgica, Suiça, França,…, (que perduram até 1983),  e realiza Rio de Onor: uma reunião do Conselho;

– em 1970 é exibida a série de programas: Povo que Canta (37 programas), pela RTP;

– entre 1972 e 1980, integrou o projecto Linha de Acção de Recolha e Estudo da Literatura Popular, da Faculdade de Letras de Lisboa;

– em 1975, estruturou e coordenou o Plano Trabalho e Cultura, o projecto integrado no Serviço Cívico Estudantil, tendo orientado, juntamente com o Professor Manuel Viegas Guerreiro, as acções de formação dos jovens “brigadistas”. Neste ano, integrou também a Comissão de Reorganização da FNAT, que viria a ser substituída pelo INATEL, propondo a criação do Centro de Documentação Operário-Camponesa (CDOC);

– em 00/04/1979, Michel Giacometti refere em entrevista que, desde o 25 de Abril, quase não fez investigação museológica e que o seu trabalho era um pouco incompleto no aspecto sociológico e nas recolhas de literatura oral;

– em 1981, a Câmara Municipal de Cascais adquire a colecção de instrumentos musicais (381) e alguns objectos etnográficos recolhidos por Michel Giacometti; Edita, neste ano, em conjunto com Fernando Lopes-Graça, o Cancioneiro Popular Português;

– em 1985, o Estado adquire os registos do Arquivo Sonoro de Michel Giacometti;

– em 1987, forma-se a Comissão Instaladora para o que viria a ser o Museu de Música Regional Portuguesa [actual Museu da Música Portuguesa – Casa-Museu Verdades de Faria]; Inaugura-se, nesse ano, o Museu do Trabalho, em Setúbal;

– em 1990, Giacometti concede a sua última grande entrevista, vindo a falecer a 24 de Novembro;

– em 1993, o espólio, adquirido em 1985 pelo Estado Português, é transferido para o Museu Nacional de Etnologia, o qual poderia melhor assegurar a sua preservação;

– 01/10/2003, o espólio das recolhas de Giacometti, que se encontra no MNE, fica acessível para consulta pública, na Mediateca do museu, depois de tratado e digitalizado;

O espólio é constituído por três conjuntos de bobines de fita magnética: um primeiro conjunto de originais a 19cm/s (127 bobines); um segundo conjunto de cópias a 38 cm/s (268 bobines); um terceiro conjunto de cópias a 19cm/s (com 133 bobines). Todas as bobines encontram-se preservadas em câmara de frio;

Para além do acervo sonoro e das fichas dactilografadas, existem 3420 fichas contendo dados informativos dos intérpretes, localização e circunstâncias de recolha, que integravam os arquivos sonoros de Giacometti, adquiridos pela SEC, que não chegaram ao MNE, pelo que, até à data, a descodificação de informantes e locais de recolha de cada fonograma  foi possível recorrendo a múltiplos cruzamentos de dados.

Região |Nº de Fonogramas

Estremadura | 259         

Algarve | 188

Trás-os-Montes | 411

Minho e Douro Litoral | 385

Beira Alta | 302

Beira Litoral | 168

Beira Baixa | 614

Alto Alentejo | 269

Baixo Alentejo | 648

Documentos Sociais e Políticos | 109

Total | 3353

 BIBLIOGRAFIA PRESENTE NA BIBLIOTECA DO MNE

Ao encontro do Povo” / Jorge Freitas Branco, Luísa Tiago de Oliveira. – Oeiras: Celta, 1993-1994. – 2vol.

“Breves considerações sobre a música popular portuguesa” /Michel Giacometti. Arte Musical. – número especial (Out. 1982).- p. 23-27.

Cancioneiro Popular Português / Michel Giacometti; colab. De Fernando Lopes-Graça. – Lisboa: Círculo de Leitores, [s.d.] (1981).

Michel Giacometti: 80 anos: 80 imagens / coord. António Carvalho, Carla Varela Fernandes, Maria da Assunção Júdice. – Cascais: Câmara Municipal de: Museu da Música Portuguesa: Casa Verdades de Faria, 2009.

Michel Giacometti: guardador de vozes = The keeper of voices / [org.] Câmara Municipal de Cascais, Casa Verdades de Faria, Museu da Música Portuguesa. –Macau: Instituto Português do Oriente, 1997.

Michel Giacometti: um caminho para um museu [fotocópia]. – Cascais: [s.n.], [2004]. (Publicado na Agenda Cultural de Cascais, (2004) p. 8-9)

Musée du Travail de Setúbal = Museum of Work of Setúbal = Museu do Trabalho Michel Giacometti  / coord. Ana Duarte, Isabel Victor; trad. Jean-Jacques Pardete. – Setúbal: Câmara Municipal de, 2002.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s