«De Regresso à Luz: Esculturas orientais em depósito da Coleção de Victor Bandeira» | a partir de 13 de outubro, no MNE

CARTAZ

«De Regresso à Luz. Esculturas orientais em depósito da Coleção de Victor Bandeira»

13 de outubro 2017 a 11 de fevereiro de 2018

A exposição “De Regresso à Luz” dá a conhecer, pela primeira vez, um conjunto de sete esculturas de carácter religioso provenientes de Myanmar, Tailândia, Japão e Sri Lanka, que, tendo sido adquiridas por Victor Bandeira com vista a integrar as coleções asiáticas do Museu Nacional de Etnologia, aqui têm permanecido depositadas desde 1975, na expectativa de uma incorporação ainda não concretizada.

Regressadas à luz após quatro décadas, e sujeitas agora a modos de contemplação jamais imaginados quando da sua produção, estas imagens convidam a que nos demoremos na excelência da sua materialidade, como ponto de partida para os sistemas de crenças religiosas para que nos remetem, maioritariamente o Budismo.

Mas estas esculturas – que se incluem entre os mais de cinco mil objetos que Victor Bandeira recolheu em África, na Amazónia, na Ásia e também em Portugal com destino às coleções do Museu, entre as décadas de 1960 e 1970 – convidam-nos também a descobrir a importância do lugar crucial que este colecionador ocupa na história do Museu.

Assim, a exposição constitui, por um lado, um gesto de agradecimento e de reconhecimento público a Victor Bandeira pela sua inegável dedicação e generosidade para com o Museu ao longo de décadas, sendo igualmente expectativa que a sua realização possa despertar a atenção para a importância da aquisição destas esculturas e o seu ingresso de pleno direito nas mais relevantes coleções etnográficas a nível nacional.

Colóquio «Modos de Fazer. Modos de Ser: Práticas Artísticas na e com a Antropologia» | 9-10 de março no Museu Nacional de Etnologia

17097723_1297800790268341_617120870428668472_o

Download do programa, aqui.

A Arte e a Antropologia marcam encontro de três dias

Serão três dias intensos de cruzamentos entre a Arte e a Antropologia: dias 9 e 10 de Março o Colóquio ‘Modos de fazer, Modos de ser’ junta mais de quatro dezenas de criadores, de antropólogos e de outros investigadores, nacionais e estrangeiros. É um regresso a casa, ao Museu Nacional de Etnologia, em Lisboa – onde ao mesmo tempo arrancará a quarta edição da FACA – Festa de Antropologia, Cinema e Arte com a intervenção artística de Tatiana Macedo ‘Everything I´m gonna tell you today it´s contaminated’.

O encerramento do Colóquio no final do dia 10 é marcado pela abertura oficial da FACA, com o concerto de música concreta por Nuno Salvado, Vahan Kerovpyan e Marius Pibarot. O concerto Museu Concreto vai buscar sons do espólio e do quotidiano do Museu – inclusive dos instrumentos musicais do seu arquivo – e cruzar com a interpretação ao vivo de voz e instrumentos.

No sábado, a FACA regressa aos seus espaços de sempre: a Cinemateca Portuguesa e o Arquivo 237 – nesse preciso número 237 da Rua da Rosa, ao Bairro Alto, a manhã será passada num workshop coordenado por Fernanda Eugénio e, logo a seguir ao almoço, Daniela Rodrigues e Ana Gandum farão o lançamento do livro ‘coisas de lá / aqui já está sumindo’.

Na Cinemateca, a FACA acolherá duas sessões (16h e 22h) de filmes do departamento de antropologia visual da Freie Universität Berlin, que contarão com a apresentação do professor Steffen Köhn. Às 18h30 decorrerá uma sessão de filmes portugueses que exploram materiais de arquivo – dos realizadores Inês Ponte, Catarina Simão e Ricardo Branco.

Três dias intensos organizados pelo NAVA (Núcleo de Antropologia Visual e da Arte) do CRIA – Centro em Rede de Investigação em Antropologia.

Apoios e parcerias: FCSH-UNL, ECSH-ISCTE-IUL, MNE/DGCP/Ministério da Cultura, Cinemateca Portuguesa-Museu do Cinema, FACC-FCT e Arquivo 237.

(Créditos imagens: Sungeun Kim | THE MEMORY OF THE 25th HOUR, 2015; Catarina Simão | EFEITO E REDAÇÃO (EFFECTS OF WORDING), 2014 )

Para mais informações, imagens ou entrevistas:

FACA

Amaya Sumpsi – festafaca@gmail.com

www.facebook.com/facalisboa

COLÓQUIO

Catarina Alves Costa ou Teresa Fradiquecoloquiomsmf@gmail.com

http://cria.org.pt/wp/event/modos-de-fazer-modos-de-ser-praticas-artisticas-na-e-com-a-an