Dia Internacional da Juventude – 12 de agosto de 2020

A DGPC associa-se ao Dia Internacional da Juventude, que este ano tem como tema “Compromisso dos Jovens para a Ação Global” e cujas celebrações são organizadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude.

Assim, no dia 12 de Agosto os jovens com idades entre os 12 e os 29 anos têm entrada gratuita em todos os Museus, Monumentos e Palácios nacionais geridos pela DGPC, proporcionando-se com estas visitas, uma plena e ampla celebração desta efeméride.

4.ª Fase de reabilitação das coberturas do MNE

    obras mne

Encontra-se em curso a 4.ª fase de remodelação das coberturas do edifício do Museu Nacional de Etnologia, que dá sequência as diversas frentes de obra realizadas desde 2015, tendo em vista não apenas a salvaguarda do edificado mas, naturalmente, também a salvaguarda das coleções, arquivos e equipamentos diversos. Para além das intervenções nas coberturas, o edifício e área envolvente do museu tem sido objeto de inúmeras frentes de beneficiação, designadamente em três salas de exposições – permanente e temporárias -, áreas de circulação de públicos, acessos à biblioteca e às duas reservas visitáveis, salas de arquivo e outros espaços técnicos, assim como no exterior, designadamente o parque de estacionamento do público e diversas áreas dos jardins exteriores.

No período em que decorre a a 4.ª fase de remodelação das coberturas do edifício, a Biblioteca do Museu encontra-se encerrada ao público, podendo o seu catálogo ser pesquisado online em http://bibliotecas.patrimoniocultural.pt/Opac/Pages/Help/Start.aspx

Dia Internacional dos Museus 2020

DIA INTERNACIONAL DOS MUSEUS 2020 

MUSEUS PARA A IGUALDADE: DIVERSIDADE E INCLUSÃO 

 

Publicação online do catálogo da Exposição «Lugares Encantados, Espaços de Património»

Neste Dia Internacional dos Museus dedicado ao tema “Museus para a igualdade: diversidade e inclusão”, o Museu Nacional de Etnologia disponibiliza ao público a edição digital do catálogo da Exposição Lugares Encantados, Espaços de Património, patente ao público até 4 de outubro de 2020.

Constituindo o culminar de recentes pesquisas de terreno sobre os casos de Sintra, Fátima, Mértola e a Mouraria, desenvolvidas no âmbito do projeto HERA HERILIGION A patrimonialização da religião e a sacralização do património na Europa Contemporânea, a exposição e o seu catálogo revelam-nos não apenas os distintos modos de recurso ao passado mas também como, nos processos de ressignificação do património, este pode constituir-se  como espaço para convivência de distintas visões do mundo, instrumento para conhecimento e entendimento mútuos, enfim, como lugar de superação de diferenças.

Catálogo da Exposição 

 

Website da exposição

 

Convite para visita à exposição

 


 

De regresso… com Victor Bandeira

No dia em que assinalamos o Dia Internacional dos Museus, este ano dedicado ao tema “Museus para a igualdade: diversidade e inclusão”, prestamos homenagem a Victor Bandeira, responsável pela recolha de mais de 5.000 objetos para o Museu Nacional de Etnologia.

Do encontro de Victor Bandeira com a equipa fundadora do museu resultaram sucessivas campanhas de constituição de colecções, realizadas entre as décadas de 1960 e 1970, em particular no Brasil, Ásia e África, articuladas pela perspetiva multiculturalista do museu e pela sua missão de valorização, em plano de igualdade, das expressões culturais de povos de todo o mundo.

Para que possa conhecer o percurso de Victor Bandeira, assim como ouvir, na primeira pessoa, as histórias sobre algumas das peças que recolheu para o museu, disponibilizamos o registo vídeo do Encontro «Victor Bandeira. Tantas Vidas numa Vida», aqui realizado a 29 de novembro de 2017, que contou com a participação de Alexandra Lucas Coelho, Raquel Henriques da Silva e Rita Tomé, para além do próprio homenageado, Victor Bandeira.

 

Vídeo do Encontro «Victor Bandeira. Tantas Vidas numa Vida»

 

 

Este Encontro foi realizado no âmbito da exposição temporária «De regresso à Luz. Esculturas orientais em depósito da colecção de Victor Bandeira», e que suscitou a aquisição pela Direção-Geral do Património Cultural, entre 2017 e 2019, das peças aí apresentadas, assim honrando um compromisso inicialmente assumido pelo museu com Victor Bandeira há mais de quatro décadas.

A partir de agora poderá também aceder aqui ao registo vídeo da exposição, realizada entre 2017 e 2018, assim como a edição digital do Roteiro:

 

Registo vídeo da exposição

 

Roteiro da exposição

 


Estamos prontos para vos receber a partir do próximo dia 18 de maio

O Museu Nacional de Etnologia reabre as suas portas para o acolher na próxima segunda-feira, 18 de maio. Para além de se encontrar aberto entre as 10h00 e as 18h00 neste dia, por ocasião da celebração do Dia Internacional dos Museus, o museu manterá o seu normal horário de funcionamento (terça-feira: das 14h00 às 18h00; quarta-feira a domingo: das 10h00 às 18h00). A reabertura do museu é acompanhada de novas medidas, de acordo com as orientações da Direção-Geral da Saúde e da Direção-Geral do Património Cultural, que visam salvaguardar a segurança de visitantes, funcionários e colaboradores externos.

Os novos procedimentos de acesso incluem o uso obrigatório de máscara, assim como a manutenção de distância de segurança, sendo apenas admitidos pagamentos com cartões de débito ou crédito. A admissão e circulação de visitantes serão realizadas de modo a garantir a taxa de ocupação recomendada para os diferentes espaços, sendo assegurado o reforço da frequência da higienização dos diversos espaços e equipamentos, com vista a salvaguardar a segurança de todos.

Nota de Pesar – Falecimento de Rui Mateus Pereira (1957-2020)

É com pesar que o Museu Nacional de Etnologia comunica o falecimento de Rui Mateus Pereira, docente no Departamento de Antropologia da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas – Universidade Nova de Lisboa e, desde 2013, investigador do Instituto de História Contemporânea na mesma universidade. Da sua ampla atividade profissional, destaca-se, na sua relação com o Museu Nacional de Etnologia, a sua produção académica e bibliográfica sobre a história do museu, assim como a coordenação científica e produção executiva da exposição Nas Vésperas do Mundo Moderno: sociedades africanas e brasileiras nos séculos XVI a XVIII, aqui realizada em 1992.