Encerramento da Ação de Formação “Racismo, Direitos e Cidadania”

No próximo dia 31 de outubro será concluída a Ação de Formação “Racismo, Direitos e Cidadania”, organizada e realizada pelo Museu Nacional de Etnologia com vista a contribuir para o desenvolvimento de valores e atitudes conducentes ao exercício de uma cidadania plena no contexto de uma sociedade crescentemente multicultural.

A Ação de Formação “Racismo, Direitos e Cidadania” constitui a última componente do projeto Diálogos na Diversidade: Programa de Educação para a Multiculturalidade, realizado pelo Museu Nacional de Etnologia entre 2018 e 2020, com o apoio mecenático da Editora Santillana, mecenas para a área de educação do museu neste mesmo triénio.

Tendo contado com a participação de um total de 57 formandos – principalmente docentes do ensino básico, secundário e especial, assim como profissionais de museus –, a Ação de Formação foi realizada com a colaboração dos seguintes formadores: Ariana Furtado (Agrupamento de Escolas Gil Vicente); Bruno Sena Martins (Centro de Estudos Sociais – Universidade de Coimbra); Cristina Roldão (Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa – IUL ; Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Setúbal); Lorena Sanches Querol (Centro de Estudos Sociais – Universidade de Coimbra); Márcia Chuva (Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro); Rosário Severo (Museu Nacional de Etnologia); Sandra Silva (Lisbon Story Center); Simone Andrade (Consultora em Direitos Humanos).

Tendo sido suspensa em março passado, em resultado da declaração do estado de calamidade e das correspondentes medidas de contenção do surto de Covid-19, a Ação de Formação foi retomada em outubro, encontrando-se a realização da sessão final enquadrada pelo disposto pela alínea i) do número 16 da Resolução do Conselho de Ministros n.º 89-A/2020, de 26 de outubro.

Homo Faber Guide

HOMO FABER GUIDE

O evento Homo Faber tem lugar, cada dois anos, na Fondazione Giorgio Cini em Veneza, e constitui o grande acontecimento público organizado pela Michelangelo Foundation. Afirma-se como uma importante mostra da melhor da produção artesanal e manufatura europeias, de todas as áreas, abrindo uma oportunidade a centenas de artesãos e designers, de darem a conhecer o seu trabalho a um público especializado, criando assim, possibilidades para o futuro.

O Homo Faber agrupa pessoas e organizações que partilham o objetivo de promover e salvaguardar o património cultural, tangível e intangível, consubstanciado no artesanato de excelência, apresentado na exposição de Veneza.

O Homo Faber Guide, agora acessível ao público, constitui uma plataforma, e também uma aplicação online, que reúne e disponibiliza recursos, o mais abrangentes possível, relacionados com a produção artesanal e as manufaturas europeias de excelência.

A informação está organizada por diferentes temas que revelam, o nível da descoberta, onde se incluem listagens de artesãos, de ateliers e de manufaturas; o nível da visita, onde encontramos os museus, as galerias e as lojas e finalmente o nível da experiência, onde podemos participar num curso, numa visita guiada ou mesmo num evento.

Os países e as cidades também estão presentes no Homo Faber Guide através dos respetivos embaixadores que são instituições e personalidades com atividade consagrada na área do artesanato e do design contemporâneo e que têm como missão apoiar e divulgar as atividades da MFO nos respetivos países e cidades.

É com o maior orgulho que o Museu Nacional de Etnologia integra este importante projeto da Michelangelo Foundation for Creativity and Craftsmanship.

Michelangelo Foundation for Creativity and Craftsmanship

 

MICHELANGELO FOUNDATION FOR CREATIVITY AND CRAFTSMANSHIP

O Museu Nacional de Etnologia é membro da Michelangelo Foundation Network.

A Michelangelo Foundation for Creativity and Craftsmanship, (MFO), é uma organização sem fins lucrativos, que pretende promover a excelência do saber fazer artesanal, e estabelecer uma ligação forte entre artesãos e designers da contemporaneidade.

Tem como missão, entre outros, o desenvolvimento de uma rede de instituições europeias que partilhem valores no que respeita à necessidade urgente de apoiar e promover a utilização das técnicas do artesanato tradicional, na produção de bens de consumo com design contemporâneo e de grande valor acrescentado.

A rede conta com mais de 80 membros, e inclui as principais escolas de artes aplicadas da Europa, grandes museus, assim como, diferentes instituições, que trabalham para salvaguardar a produção artesanal dos respetivos países.

Os membros ajudam a MFO a identificar mestres artesãos e jovens talentos, que possam vir a desempenhar um papel ativo nos projetos promovidos pela fundação. A MFO apoia a atividade dos membros e oferece oportunidades de intercâmbio, fomentando deste modo um sentido de comunidade mais alargado.

A MFO pretende que o publico descubra e valorize a excelência das técnicas de produção tradicionais e deste modo apoiar os artesãos europeus que ainda utilizam esses métodos e conhecimentos ancestrais para fazer objetos com grande valor acrescentado.

Constitui função das instituições culturais representantes dos respetivos países, proteger e perpetuar as tradições artesanais mais emblemáticas dos seus países, através da promoção de programas e iniciativas de sensibilização para este importante património cultural.