Circulação de bens: Exposição “Contar Áfricas!” | Padrão dos Descobrimentos

 

Encontram-se atualmente patentes ao público no Padrão dos Descobrimentos oito objetos das coleções do Museu Nacional de Etnologia – de Moçambique, um cântaro e uma escultura Maconde (n.º inv.: AA.001; AY.022); de Angola, uma escultura Songo, um berimbau e um cesto de adivinhação (n.º inv.: AA.932; AG.557 e AD.445); da Guiné-Bissau, um pano (n.º inv.: AF.306); de Cabo Verde, um pano (n.º inv.: AC.078) e do Brasil, uma prisão para escravos (n.º inv. AP.019) – cedidas para a exposição «Contar Áfricas!».

 

A exposição, inaugurada a 24 de novembro e que poderá ser visitada até ao dia 21 de abril de 2019, resulta de um desafio lançado a dezenas de investigadores e especialistas que escolheram peças e palavras e que com elas desenharam um percurso para conhecer uma África diversa e múltipla. As escolhas são a base do desenho da narrativa museológica e que no seu conjunto pretendem contar a história de uma África plural.

 

A exposição «Contar Áfricas!» tem a coordenação científico-museológica de António Camões Gouveia (NOVA|CHAM) e conta com a participação e colaboração de diversas instituições, associações e investigadores.

 

Mais informações em:

https://www.padraodosdescobrimentos.pt/pt/evento/exposicao-contar-africas/

Anúncios

Cadeira de “Etnografia Portuguesa” (Dep. Antropologia do ISCTE-IUL)

 

No âmbito de colaboração estabelecida com o Departamento de Antropologia do ISCTE-IUL, o Museu Nacional de Etnologia acolhe, no 1.º Semestre do ano letivo de 2018/2019, as aulas da cadeira de Etnografia Portuguesa da Licenciatura em Antropologia daquela Universidade, a cargo do Professor Pedro Prista. Os alunos desta cadeira têm assim oportunidade de contactar diretamente com diversas valências do Museu diretamente articuladas com a disciplina, entre as quais os seus espaços expositivos e de reserva, assim como conhecer em maior profundidade não apenas as coleções etnográficas mas também diversos tipos de fundos documentais do Museu relativos aos temas abordados nas aulas.

Reabilitação do edificado do Museu Nacional de Etnologia

 

Dando sequência à remodelação da cobertura da Biblioteca do MNE/MAP realizada no Verão, concluiu-se recentemente a intervenção de reabilitação dos exteriores da secção nascente do edifício do Museu Nacional de Etnologia, no qual se encontra instalado aquele serviço do Museu .

 

Com esta intervenção completou-se assim a reabilitação do edificado da totalidade do corpo Sul do Museu Nacional de Etnologia, iniciada em 2016 com a reabilitação da cobertura do Auditório e da Sala de Exposições temporárias n.º 4, assim como da reabilitação do acesso interno à Biblioteca e WCs públicos deste serviço. A estas intervenções seguiu-se, em 2017, a extensa obra de reabilitação das coberturas do hall, recepção, cafetaria e esplanada, das coberturas correspondentes a toda a área de serviços e arquivos e da Sala de Exposições temporárias n.º 3, assim como a substituição integral dos tectos falsos da entrada de serviço e dos varandins voltados ao Rio Tejo, completada, ainda nesse ano, com a reabilitação dos espaços interiores, de acesso do público às Galerias da Vida Rural, Sala de Serviços Educativos e Sala de Formação, e, já em 2018, com a pintura do alçado Sul do edifício.

 

No âmbito da reabilitação dos exteriores do edifício do Museu Nacional de Etnologia, iniciada em 2017 com a reparação dos passeios, colocação de sinalética alusiva ao museu e prosseguida na Primavera de 2018 com a reabilitação do pequeno anfiteatro no extremo Noroeste do jardim, destacam-se as obras de requalificação do Parque de Estacionamento principal do museu, anexo ao seu corpo Norte, a realizar até finais de dezembro de 2018.

Encontros com o Património sobre “Diálogos na Diversidade”

 

Já no seu 12.º ano, o Programa “Encontros com o Património”, iniciativa conjunta da DGPC e da TSF, dedicou a sua edição do passado dia 18 de novembro ao projeto educativo do Museu Nacional de Etnologia “Diálogos na Diversidade – Programa de Educação para a Multiculturalidade”, que conta com o apoio mecenático da Editora Santillana. Conduzida pelo jornalista Manuel Vilas-Boas (TSF), esta edição contou com a participação de Alberto Muñoz (Editora Santillana), António Camões Gouveia (NOVA/CHAM), Miguel Abreu (Cassefaz), Paulo Ferreira da Costa (MNE) e Rosário Severo (MNE).

 

Clique AQUI (https://www.tsf.pt/programa/encontros-com-o-patrimonio/emissao/dialogos-na-diversidade-10184898.html?autoplay=true) para acesso ao podcast da edição do Programa da TSF.

 

Clique AQUI (https://mnetnologia.wordpress.com/servico-educativo/dialogos-na-diversidade-programa-de-educacao-para-a-multiculturalidade/) para informação sobre o projeto “Diálogos na Diversidade”